Ter o controle financeiro é o que garante a saúde de uma empresa, por isso entenda melhor o que é e não abra mão de ter um plano de contas personalizado.

O plano de contas ou plano contábil auxilia no controle das finanças e monitora as entradas e saídas com o objetivo principal de estabelecer normas de conduta ordenadas para o registro das operações de uma organização.

É no plano contábil também onde você pode saber se a sua empresa está tendo lucro ou prejuízo.

Diferente dos simples relatórios financeiros, é um método que envolve uma relação de códigos e classificações que identificam ativos, passivos e outros itens, que são utilizados como base para estruturar relatórios contábeis como o Balanço Patrimonial (BP) e a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE).

Para elaborar o plano contábil de uma empresa é necessário que o mesmo seja feito em conformidade com a legislação (Lei 6.404/76 e Lei 11.638/07), seguindo os códigos e as referências sobre as definições de ativos, passivos, receitas e despesas, mas ele não serve apenas para atender as exigências legais, como vamos explicar mais abaixo.

O tamanho da empresa e seu ramo de atividade são fatores também que ajudam a determinar o modelo do plano contábil. E sua estrutura bem como a ordem das informações serão importantes na hora de interpretar e analisar a situação financeira real da empresa.

CLASSIFICAÇÕES DO PLANO DE CONTAS

Não existe um padrão exato para o plano de contas, ele varia de empresa para empresa, mas alguns itens são obrigatórios de acordo com a legislação, sendo eles:

  • Ativos – contas devedoras;
  • Passivos – contas credoras;
  • Custos e despesas – contas devedoras;
  • Receitas – contas credoras;

A personalização de um plano contábil adaptado para às necessidades de detalhamentos específicos, ajudará a ordenar ainda melhor as particularidades de cada negócio e assim ser uma ferramenta administrativa de alta performance para gerar outros documentos essenciais na hora de atender às exigências dos agentes externos, como as do Imposto de Renda por exemplo e ainda direcionar as ações administrativas.

Um plano de contas adequado considera as denominadas contas analíticas, que são aquelas que detalham os lançamentos e registros de cada fato administrativo, que possibilita entregar ao gestor o controle absoluto do negócio.

Não é difícil encontrar planos de contas padrão, que visam atender apenas o sistema de Plano de Contas Referencial da Receita Federal, que serve apenas para cumprir o que é previsto na legislação quanto à Escrituração Contábil Fiscal.

E embora seja importante e indispensável atender às obrigações contábeis e fiscais, como a entrega da ECF anual, vale considerar também o quanto importa conhecer em detalhes os números e resultados da sua empresa para poder tomar decisões mais assertivas.

Verifique com a sua contabilidade qual é o modelo de Plano de Contas que eles te oferecem para poder pensar e planejar a sua gestão.

SEU PLANO DE CONTAS EM 4 PASSOS

Ativos

Representam a parte positiva do patrimônio, a fonte de investimentos e as aplicações de recursos. Em um plano contábil os ativos são estruturados em:

  • Circulante: Bens e direitos realizáveis em prazo inferior ao ciclo operacional, que não ultrapasse doze meses após a data do balanço.
    Ex: Caixa, bancos com movimento, clientes, outras contas a receber, estoques, insumos, despesas antecipadas e outros.
  • Não Circulante: Bens e direitos realizáveis em prazo superior ao ciclo operacional, que ultrapasse doze meses após a data do balanço.
    Ex: Contas a receber, clientes, investimentos (participações societárias), bens imobilizados (terrenos, construções e benfeitorias, maquinas e ferramentas, veículos, móveis), intangíveis (marcas e softwares) e outros.

Passivos

Representam a parte negativa do patrimônio, são as obrigatoriedades que devem ser pagas mensalmente ou anualmente pela empresa. Entre eles citamos:

  • Circulante: Obrigações exigíveis em um prazo inferior ao ciclo operacional* ou que não ultrapasse doze meses após a data do balanço.
    Ex: Impostos e contribuições a recolher, simples a recolher, INSS, FGTS, contas a pagar (fornecedores e outras contas), empréstimos bancários.
  • Não Circulante: Obrigações exigíveis em um prazo superior ao ciclo operacional* ou que ultrapasse doze meses após a data do balanço.
    Ex: Empréstimos bancários.
  • Patrimônio Líquido: Capitais próprios dos sócios ou dos acionistas de uma empresa num determinado momento.
    Ex: Capital social (subscrito e a realizar), reservas (de capital e de lucros), prejuízos acumulados (de exercícios anteriores e de exercício atual).

Receitas

Se definem como receitas o montante obtido com venda de produto, o trabalho e outros. Dentre elas estão:

  • Receitas Líquidas: Receita bruta de vendas (de mercadorias, de produtos e de serviços prestados), deduções da receita bruta (devoluções e serviços cancelados).
  • Outras Receitas Operacionais: Vendas de ativos não circulantes (receitas de alienação de investimentos e receitas de alienação do imobilizado).

Custos e Despesas

Todos os gastos feitos pela pessoa, física ou jurídica.

  • Custos dos Produtos Vendidos (CPV): Custos dos materiais e materiais aplicados e custos de mão de obra (salários e encargos sociais);
  • Custo das Mercadorias Vendidas (CMV): Custo das mercadorias (preço pago no produto a ser comercializado);
  • Custo dos Serviços Prestados (CSP): Custos dos serviços (materiais aplicados, mão de obra e encargos sociais).
  • Despesas Operacionais: Despesas gerais (mão de obra, encargos sociais e aluguéis).
  • Perdas de Capital: Baixa de bens do ativo não circulante (custo de alienação de investimentos e do imobilizado).

Para obter um plano de contas de sucesso e personalizado, é importante que haja um planejamento prévio junto com o contador, para garantir que os dados necessários sejam coletados e registrados de acordo com o seu plano contábil desejado.

Agora você já conhece a importância de um plano contábil, conte com a  Itamarati Assessoria Contábil para receber uma consultoria completa que te direcione para as ações certas que a sua empresa precisa para atender todas as obrigações fiscais e contábeis, além de garantir mais tranquilidade para sua gestão administrativa e financeira.

Aproveite para conferir aqui em nosso blog outros artigos que te ajudarão a reduzir custos na sua empresa. Leia aqui!

As finanças precisam estar sempre bem organizas para que possa pensar no crescimento e sucesso da sua empresa, baixe aqui um infográfico com 8 passos rápidos que irão te ajudar neste processo.

Um manual gratuito exclusivo, com dicas e informações valiosas. Onde reunimos nossa experiência de quase 30 anos e sintetizamos tudo para te ajudar com uma gestão eficiente. Clique aqui para baixar!