Você sempre sonhou em ter a sua própria empresa, e apesar de já ter o dinheiro necessário para isso, não faz ideia de qual caminho seguir? Então você está no lugar certo, pois hoje vamos falar de 3 negócios em alta que podem ser a direção certa para o sucesso do seu futuro empreendimento.

Para aproveitar as oportunidades de negócios em alta, você precisa começar agora!

Você também tem a sensação de que 2019 está passando num piscar de olhos? Acredite, você não está sozinho nessa. 

Mas a boa notícia é que ainda dá tempo de deixar o medo de não conseguir fazer os seus projetos caminharem de lado, para começar a traçar um bom planejamento para alcançar as suas metas.

Seja você um empreendedor ou alguém que guardou dinheiro por muito tempo para finalmente abrir a sua empresa e ser o seu próprio “chefe”, uma coisa é certa: planejar não é esperar um ano inteiro para começar, mas sim encontrar a oportunidade certa, para colocar a ação em prática o mais rápido possível, mesmo que a jornada do planejamento leve esse mesmo tempo.

A grande questão é tirar o sonho do papel para iniciar o seu planejamento agora. 

Afinal, enquanto você espera, muitos dos seus futuros concorrentes já começaram e estão prestes a disparar na frente em ideias que poderiam ser suas.

Você já entendeu que talvez esteja perdendo tempo, mas ainda não sabe o que fazer, qual caminho seguir e ainda tem aquela insegurança de perder o seu tão suado investimento em uma escolha antecipada?

Calma, estamos aqui pra te ajudar nessa missão!

Separamos 3 negócios em alta para você acertar em cheio na hora de abrir a sua empresa!

Confira a lista com os 3 negócios em alta, que acompanham a evolução do mercado em tempos de crise, as mudanças de comportamento dos consumidores e as tendências que estão ganhando cada vez mais espaço no Brasil e no mundo. 

Quem sabe uma das opções não seja a luz que estava faltando para você finalmente começar a planejar a sua empresa, ainda neste ano.

1) Brechós: reaproveitar virou tendência

Já foi o tempo em enxergar nos brechós, negócios pouco atrativos. As pessoas começaram a repensar a forma de consumir não só pelos tempos de crise, mas por outras inclinações, como:

Sustentabilidade e cuidado com o meio ambiente, já que reaproveitar aumenta a vida útil de itens considerados em bom estado, diminuindo assim o impacto que é causado ao meio ambiente pela indústria têxtil.

Democratização da moda, com o acesso à artigos de luxo por preços que cabem no bolso de uma parcela maior da população.

Tendência vintage, percebeu como os anos 70, 80 e 90 foram resgatados e estão mais vivos do que nunca nos últimos tempos?

Há diversas possibilidades, desde lojas físicas com preços mais acessíveis; trabalhar com peças de grifes famosas, que podem render um lucro maior, ou apostar na venda online.

E se você ainda não tem certeza se esse é um bom negócio a seguir, vale pensar que o número de brechós cresceu 210% no Brasil nos últimos 5 anos.

2) Cosméticos naturais: melhor para a pele e para o meio ambiente

Empreender na área da beleza sempre é uma escolha certeira, já que a demanda não para de crescer e, mesmo com uma concorrência forte, sempre há espaço para quem oferece produtos de qualidade.

Com esse cenário, focar no novo comportamento de consumo também pode ser o segredo de ouro para se destacar no mercado. O uso de produtos naturais, por exemplo, que causam menos danos à natureza e a própria pele são uma ótima oportunidade de alcançar esse perfil de consumidor mais exigente.

Vale destacar que apesar de não ter um estudo oficial do número de veganos no Brasil, que são aqueles que provavelmente não desejariam consumir um cosmético com origem animal, 14% da população brasileira se declara vegetariana. O que representa quase 30 milhões de consumidores em potencial para cosméticos, que não são testados em animais, por exemplo.

3) Cervejas artesanais

Que o brasileiro adora cerveja todo mundo já sabe, mas o gosto por cervejas artesanais ganhou destaque nos últimos anos. De acordo com a Abracerva (Associação Brasileira de Cerveja Artesanal, nos últimos dez anos o número de cervejarias artesanais no país passou de 70 para 700. E na conta nem entraram as operações em fase inicial, que ainda não foram regularizadas.

A possibilidade de inovar no mercado é grande, principalmente pelos diferentes tipos e sabores de cervejas. Afinal, há 20 anos você imaginaria que uma cerveja de framboesa ou de coentro faria sucesso? Pois é, hoje elas são uma das queridinhas de quem busca experiências de degustação diferenciadas.

O negócio passou a ser uma ótima opção e a novidade é que esse tipo de empresa já pode optar pelo regime do Simples Nacional.

Negócios em alta em mente, é hora de partir para o plano!

Acha que um desses negócios pode ser a escolha certa para realizar o seu sonho de empreender? Então depois de escolher o nicho e o tipo de negócio, é essencial iniciar um planejamento para entender mais sobre o mercado, conhecer melhor a concorrência, analisar os preços praticados, estabelecer diferenciais competitivos, escolher bons fornecedores, listar todos os custos e planejar o seu investimento, considerando que nem toda empresa nasce lucrando, e que o retorno pode levar até mais de um ano.  

Também não se esqueça de que antes de querer lucrar, você precisa encontrar soluções que realmente sejam boas para o seu futuro público-alvo, já que se os seus clientes não estiverem satisfeitos, no final, o seu faturamento sempre andará na corda bamba.

Primeiro passo dado? E a decisão de empreender, seja em um desses modelos de negócio ou em outra ideia, está mais certa do que nunca?

Então para não abrir a sua empresa do jeito errado, confira agora mesmo um artigo especial que preparamos para que você não cometa erros, que podem comprometer o seu negócio já nos primeiros dias de existência.